O que é a Psicologia Astrológica?

Psicologia Astrológica, uma Psicologia para as pessoas de hoje.

A Psicologia Astrológica é uma síntese dos modernos conhecimentos psicológicos e da antiga sabedoria astrológica.
Com a Psicologia Astrológica abrange-se a pessoa na sua totalidade, tanto no seu ambiente social, como também nos seus anseios de desenvolvimento individual, através da qual o indivíduo pode sentir-se livre em relação aos outros.
Para isso o horóscopo individual, que é a representação do nosso sistema solar no momento exacto do nascimento, serve como instrumento de diagnóstico.

A formação da consciência em vez de previsões de futuro e profecias.

O objectivo da Psicologia Astrológica é aumentar a liberdade do Homem. O grau de consciencialização será aumentado através do conhecimento das mais profundas motivações de vida, dos nossos anseios inconscientes, dos objectivos de vida mais íntimos e da herança (história) familiar num ponto de vista pessoal e transpessoal.
O conhecimento das dependências, dos condicionalismos diários, e o nosso desenvolvimento emocional e espiritual abre espaço para a criatividade.
A Psicologia Astrológica fornece instrumentos que permitem entrar profundamente no sentido da nossa existência. Ela recusa as velhas crenças no destino, nas profecias, que daí resultam, bem como outros modos de pensar deterministas.

A Psicologia Astrológica fornece novos caminhos para a resolução de conflitos

Ela auxilia à tomada de decisões em situações de crise, em questões de educação de pais e crianças, em aconselhamento matrimonial e relacional, bem como em aconselhamento profissional de carreiras, ou de equipas, etc.
Nas profissões de auxílio e acompanhamento, bem como no desenvolvimento da personalidade, a Astrologia Psicológica fornece conhecimentos que mostram novos caminhos para a resolução de problemas e conflitos.

Por Sibylle Sulser e Harry Tobbler, astrólogos suiços

 


Nenhum artigo, tabela ou texto pode ser reproduzido sem autorização expressa do(s) autor(es)

© Copyright 2011, Helena Avelar e Luís Ribeiro